domingo, 18 de maio de 2014

1673 - Soneto mãeternizado

Que bom se não acabasse...

Dizem da maravilha que seria
Se mãe fosse negócio eterno.
Não discuto. Ter algo de terno,
Carinhoso e beijo de bom dia

Todo dia, não há maior alegria
Que todo o desvelo materno,
Mas hoje, esse tempo moderno
Em que sentimento tem valia

Pouca, ter a mãe para a vida
Toda parece mais descabida
Punição para alguns. É bronca,

É conselho, encheção de saco,
Mas falta mãe e vai ao buraco
O sujeito, sua vida se destronca.

Francisco Libânio,
11/05/14, 9:18 AM
Postar um comentário