domingo, 4 de maio de 2014

1645 - Soneto dos ovos pós-pascoa

Sempre sobra depois do coelhinho distribuir geral.

E quando o coelho vai embora
Fica a ninhada de ovo sobrado
Na gôndola do supermercado
Que até se poderia jogar fora,

Mas é preciso vender e agora!
Baixa o preço, está quase dado,
Chocolate sempre dá um recado
De delícia, soa demais tentadora

A oferta. Mas nem é tão barato
O ovo, mas é menor o desacato
Monetário. Ou, ao menos, parece.

Tem ainda a semana de lambuja,
E para esgotar é que sobrepuja
A falação. Dá logo, não esquece!

Francisco Libânio,
22/04/14, 11:28 AM
Postar um comentário