segunda-feira, 24 de setembro de 2012

0466 - Soneto do casal virginiano

Segundo signo de terra, versáteis e céticos


Quando se conheceram, foi matemático!
A empatia era algo que soava tão inata
Que riam ao ouvir “é uma surpresa grata”,
A atração era lógica, dizia ele enfático

Como ela dizia ser apenas sintomático
O enlace e tudo mais e diziam na lata
A quem duvidasse. Ela, tão cordata,
E ele, tão amável como pragmático,

Amavam-se e eram complementares,
Mas tinham seus pegas particulares,
Um deles envolvia a doce declaração

Eu te amo? Ama nada! Então prova!
Céticos, cada doçura era uma nova
Maratona de dúvida e de inquisição.

Francisco Libânio,
24/09/12, 8:07 AM
Postar um comentário