quarta-feira, 5 de setembro de 2012

0421 - Soneto revelador

Desde pequeno colocando suas horas de mamar e dormir.


A quem de mim muito diga
Que ao escrever, eu revelo
Demais de mim e pede zelo
Ou mostrar demais dá briga,

Será mesmo ou será intriga?
Às vezes um escrito, ao lê-lo,
Dou a razão. Aí me acautelo,
Me preservo e isso me mitiga,

Escrevo usando do cuidado
Para não por demais o lado
Íntimo ou dar muita amostra

Da minha pobre vida pessoal
Sem me guardar muito, afinal
Quem se abaixa a bunda mostra.

Francisco Libânio,
05/09/12, 1:37 PM

Postar um comentário