quinta-feira, 6 de setembro de 2012

0425 - Soneto da candidata plataformada

Não há o que dizer sobre isso, sinceramente...


Saiu candidata uma tal Mulher-Pêra,
Outra da infindável salada de frutas
Mulheris, moças, digamos, batutas
Cujo intelecto pouco ou nada opera,

Com português que desconsidera
A gramática e lacunas absolutas
Quanto a propostas e a labutas,
O negócio é jogar para a galera

E já que não existem propostas,
Faça-se a campanha de costas,
Foque-se a bunda e já contenta

Meia dúzia de eleitores indecisos,
Mas espera-se que esses improvisos
Não eleja quem use tal ferramenta.

Francisco Libânio,
06/09/12, 8:24 AM
Postar um comentário