segunda-feira, 24 de setembro de 2012

0467 - Soneto do casal libriano

Signo de ar, diplomatas e cheios de querer ser


Viram-se e houve uma explosão,
Primeiro as flores, aí veio a cama,
Química perfeita, acesa a chama
Da sensualidade e chegou a união

O romance dava tom ao diapasão,
A sociabilidade enredava a trama,
Ótimos amigos a compor a gama
Social e a enriquecer essa relação

A casa era um agradável palacete
Onde o bom gosto era um verbete
Presente a encher olhos e cabeça

Beleza aflorava. Mas só um defeito:
O casal contando como foi feito
E tudo o que tinha era chato à beça.

Francisco Libânio,
24/09/12, 12:08 PM
Postar um comentário