segunda-feira, 3 de setembro de 2012

0414 - Soneto roraimense

Boa Vista, em Roraima. Cidade moderna, de avenidas largas e sem onças ou sucuris nas ruas.


Roraima, lá do extremo norte,
Afastada de tudo, só observa
O Brasil distante e conserva
A humildade frente todo porte,

Dizem que não temos sorte?
Um quê interiorano se preserva.
Dizem que somos uma reserva?
Não que isso nada importe,

Mas ainda iremos bem crescer,
A natureza nos trará o alvorecer
E azar de quem não acredita

No mais, fiquem com Camboriu,
Com Búzios, Iracema e Aracaju
Que vamos pra Isla Marguerita.

Francisco Libânio,
03/09/12, 9:00 PM
Postar um comentário