quarta-feira, 19 de setembro de 2012

0460 - Soneto de uma preferência cronológica

São tipo a Salma Hayek, mulheres vinho, saca?


Idade não é sinônima à experiência,
Panela velha não faz comida boa,
Uma quarentona não dá tiro aí à toa,
Mas é dela minha de já a preferência

Por quê? Há nela alguma excelência,
Se vida ou na cama, a mulher já varoa,
Vivida sabe agir. Ao meu lado destoa?
Sim, soa estranho, quase indecência.

E daí? É com tal mestra que aprendo,
Reflito, corrijo, engrandeço e desvendo
Caminhos que só ela soube pela vida

E se na cama, me imaginam no fetiche,
Pode acontecer, desde que se capriche,
Não na fantasia, mas na transa ocorrida.

Francisco Libânio,
19/09/12, 12:21 PM
Postar um comentário