domingo, 9 de setembro de 2012

0437 - Soneto jiboiante

Quero ver quem nunca se sentiu assim após um almoçaço


Sábado no almoço feijoada,
Muito feijão e porco picado,
Rabo, pé e orelha do coitado,
Mas sua alma será agraciada

Fez um homem feliz e saciada
Sua fome. Mais arroz, ao lado
Torresmo, Jaz bem pururucado
Também o pernil de uma azada

Leitoa. Sentiu bem a refeição?
Pois comido, a saborosa ação
Pede um descanso bem joia

É ai que eu bem compreendo
E copio achando estupendo
O ócio digestivo de uma jiboia.

Francisco Libânio,
09/09/12, 2:23 PM
Postar um comentário