quarta-feira, 12 de setembro de 2012

0442 - Soneto sodomita

A coisa lá era quente. A combustão foi fácil.


E diziam que na tal Sodoma
A putaria corria leve e solta
Nego dizia “vira’, nega, “volta”,
Quem dá agora é quem toma

Tanto foi que tamanha broma
Encheu Deus de ira e revolta,
Mandou dois anjos de escolta
Para Abraão. Aí o povo toma

A porta da casa tudo a fim
De comer os anjos e assim,
Deus tocou o terror no lugar

Sodoma e a vizinha Gomorra
Rodam. Agora por que, porra,
A mulher de Ló foi se voltar?

Francisco Libânio,
12/09/12, 11:42 AM
Postar um comentário