terça-feira, 4 de setembro de 2012

0416 - Soneto paulista

Essa é a Prudente onde moro. É São Paulo também.

Locomotiva do Brasil? Sem essa!
Aqui as locomotivas não dão tom,
Em São Paulo esse delicioso som
Das composições a ir sem pressa

Virou passado. Agora de depressa
Só os carros que tiverem motor bom,
Roda de liga leve e um potente neon
Na malha de estradas que atravessa

O estado todo. Não há locomotiva,
Revogue-se já essa ideia figurativa
E sem sentido. São Paulo apenas é

Um dínamo a mais na engrenagem
E que quando lhe falta a regulagem
Faz o Brasil inteiro dar marcha à ré.

Francisco Libânio,
04/09/12, 2:14 PM
Postar um comentário