quinta-feira, 27 de setembro de 2012

0475 - Soneto regateiro

Escrevendo sem moderação!


Escrevo soneto, falta inspiração?
Pois então, partamos pra farra
E azar se o escrito se desgarra
E não haja nele muita erudição,

Escrevo-o conforme a condição
Que tenho. Precisa gambiarra?
Fazemos. E assim, na pura garra
E com um toque de maldição,

O soneto se constrói e lá segue
O poeta que por ele se abnegue
Com o compromisso que puder

O soneto aos poucos se finda
E o poeta não satisfeito ainda
Quer mais festa e manda ver.

Francisco Libânio,
27/09/12, 12:18 PM
Postar um comentário