quinta-feira, 6 de setembro de 2012

0425 - Soneto da dúvida eleitoral cruel

Votar ou não votar? Eis a questão! Ah, dane-se!


Andando pela rua topou um amigo
Candidato a vereador. “Vote em mim!”
Pediu quase como impondo assim.
Disse que talvez. “Se votar, te ligo.”

Atravessou e lá deu com um antigo
Colega de colégio que disse “Enfim
Te encontrei. Conto com seu sim!
Sou a solução pra Câmara, te digo!”


Voltou pra casa cogitando horrores
Que vantagem! Teria dois vereadores!
“Qual escolher se só um voto acumulo?”

No dia da eleição, fez um churrasco,
Os dois foram e para evitar o asco
Dos dois escondeu que votou nulo.

Francisco Libânio,
06/09/12, 6:33 PM
Postar um comentário