terça-feira, 25 de setembro de 2012

0470 - Soneto do casal sagitariano

Signo de terra, cheios de tato, mas melancólicos.


Quando ele a conheceu foi preterido,
Ela preferia outra pessoa. A espera
Da parte dele valeu. Ele, de fato, era
O homem certo para ser o marido.

Foi um casal sem manias, contido,
Ótimos amigos, mas viravam fera
Se queriam algo. Traziam severa
Obstinação e um quê destemido

Atrás do sucesso. Até que ia bem
No casamento, vida conjugal zen
Apesar de certos lances de ciúme

Com obstinação e alguma paciência
Foram pra Europa, fixaram residência
Capricornianamente foram ao cume.

Francisco Libânio,
25/09/12, 12:19 PM
Postar um comentário