domingo, 30 de dezembro de 2012

698 - Soneto retrospectivo

Não será tão diferentes, só terá menos gente de peso pra morrer...

Esse ano teve muitas mortes,
Muitos momentos históricos,
Instantes absolutos, eufóricos,
Episódios de todas as sortes.

Esse ano permitiu os recortes
Mais absurdos. Teve teóricos
Do apocalipse catastróficos
E doidos varridos dos portes

Mais inimagináveis. Diferença?
Nenhuma. Salvo a cega crença
Noutro fim do mundo foi igual

Este ano de outro e outro ano.
Só sei que este dará mais pano
Para mais loucura, mais surreal.

Francisco Libânio,
30/12/12, 10:19 AM
Postar um comentário