sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

695 - Soneto quase feliz

Não quero ser feliz no reveillon, e daí?

A obrigação impositiva em ser feliz
No fim do ano, esperança opressora,
Votos de feliz ano novo a toda hora
Me deixam puto até a mais funda raiz

Se não quero ficar feliz, onde se diz
Que isso é errado? Mandar embora
Toda esperança, pôr do lado de fora
O otimismo e não ver como motriz

O início do ano? Quero fazer isso,
E não esse frustrante compromisso
De ano novo ser um novo começo.

Feliz eu estou agora que soneteio,
Se me deixar seguir nesse esteio
De ser feliz por ordem enlouqueço.

Francisco Libânio,
28/12/12, 3:07 PM
Postar um comentário