segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

666 - Soneto do mal cabalístico

Six, six, six... The number of the Beast (melhor do que muita patuscada por aí)


Meia, meia, meia, o número da besta,
Até o Iron Maiden já falou sobre isso,
Como meu soneto poderia ser omisso
E fazer, justamente aqui, sua sesta?

Anticristo, o número desperta a festa
Absoluta e faz crer ser o compromisso
Fiel de quem a tal crença é submisso
E é besta de grafar o número na testa

Aí não é besta de diabo, mas de tonto,
De idiota. Não basta cair fácil no conto,
Tem que mostrar que é a reencarnação

Do mal. Ok, fie-se de cabeça na lenda,
Mas ciente de que essa mania horrenda
É a forma mais ridícula de ter devoção.

Francisco Libânio,
10/12/12, 6:19 PM
Postar um comentário