quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

677 - Soneto comezinho

Ela é espetacular. E quer...

Pra se dizer o difícil, a complicação,
Erudição como o inútil rebuscamento
Não ajudam, travam o entendimento
E levam o interlocutor à pura aflição

“Diz logo!” Pede sem certa educação
Quem passa pelo irritante tormento
Enquanto quem diz para por momento
Procurando uma melhor explicação

E o cara resolve meter romantismo
Na história para abafar o cataclismo
E manda “Vamos dar uma, meu bem?”

Ela topa. A boa e velha simplicidade
Funciona e desenha legal a realidade,
Afinal, ela queria muito isso também.

Francisco Libânio,
19/12/12, 11:57 PM
Postar um comentário