terça-feira, 11 de dezembro de 2012

668 - Soneto benfazejo

Pode não ser maravilhosa, mas é espetacular

Ela não era a mulher mais linda
Nem a mais gostosa nem nada
Demais. Ela sequer era notada
E às vezes ficava numa berlinda

Entre as mais feias ou ela, ainda,
Se lembrada, era logo apontada
A mais mal vestida, mal arrumada
E essa estranheza que a blinda

Foi o que atraiu num outro olhar,
Mais reparado querendo demorar
E vi lá coisas nunca antes vistas

O que fiz foi caridade? Se foi, bem!
Aquele corpo me fez bem também,
Somos, eu e ela, satisfeitos altruístas.

Francisco Libânio,
11/12/12, 1:04 PM
Postar um comentário