quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

662 - Soneto abalizado

Aí ele defende as ideias do Bolsonaro e acabou...


Aí você imagina que a pessoa sabe
Tudo, tudo, um verdadeiro cabedal,
Uma fonte de onde jorra sem igual
A quem nenhum elogio justo cabe.

A ignorância, parece, lhe descabe,
Mas esse castelo de marfim é irreal,
Dê-lhe um tema político ou moral
E deixa que ele por si só desabe

O vil conservadorismo tanto exala,
Escorre pela boca que não se cala
E dá vez a um aprendiz de ditador

O mundo que ele quer é retrocesso,
A sabedoria que soava em excesso
É tão ausente que nos causa dor.

Francisco Libânio,
06/12/12, 8:07 PM
Postar um comentário