sábado, 22 de dezembro de 2012

685 - Soneto safado

Só por hoje, ok?

Aí uma moça resolveu me dar condição.
Disse querer que eu a levasse pra cama,
Fizesse dela a puta que em casa é dama
E testar os limites dessa sexual atração

Porque ela sabe: Nós somos a pegação
Sem dar asas românticas à nossa trama
Nem falar que quer, que adora, que ama...
Nosso negócio é a luxúria, sem invenção.

Ela veio em casa e tocamos para o motel.
Ela tirou minha roupa, cumprimos o papel
De cada um. Agora é obrigado e bye-bye.

O sexo puro e simples parece complicado,
Mas o jogo, se estabelecido e combinado,
Corre tranquilo. Bate culpa, mas ela se vai.

Francisco Libânio,
22/12/12, 7:51 PM
Postar um comentário