sábado, 22 de dezembro de 2012

683 - Soneto pós-apocalíptico

E eu achando que isso era o que ia rolar no fim do mundo...

E aquela tal previsão maia
De que o mundo ia acabar?
Que um planeta ia trombar.
Coisa de gente de má laia

Pena. Humanidade cobaia
De uma hecatombe estelar
Era momento certo de dar
Um festão só de gandaia!

Pois é, mas tá aí o mundo
Após o vaticínio vagabundo
Girando com a humanidade

Pior! Nem estaremos aqui
Para curtir todo o frenesi
Quando acabar de verdade.

Francisco Libânio,
22/12/12, 12:46 PM
Postar um comentário