sexta-feira, 27 de março de 2015

1822 - Soneto às margens (não tão) plácidas

Ouviram do Ipiranga um tal brado
Retumbante. E fez independente
O país em que parte era indigente
E parte era escravo, boi de arado

E de pátria nada sabia o coitado.
Mas para a História fica a patente
Do heroico brado dito insurgente
E do Brasil, que agora vira Estado.

Coisa nenhuma, para o populacho
Não muda. Da nobreza é capacho
E dos ricos é a máquina a manter

Riqueza. Brasil com rei português
Que já governava aqui qual a vez
Anterior? Nada pior poderia haver.

Francisco Libânio,
03/02/15, 12:28 PM
Postar um comentário