segunda-feira, 9 de março de 2015

1806 - Soneto atirado

Tinha tal respeito e tal reverência
Pelo sexo oposto que era o abuso
Da educação. Vezes perdia o fuso
Numa paquera em que a decência

Extrapolava. Às vezes a ausência
De desvelo não seria um mau uso,
Um atrevimento, algo mais intruso
Teria nesse lance maior eficiência.

Mas nunca acontecia até que uma
Donzela, sem ter cerimônia alguma,
Pegou a mão do moço e aos peitos

Levou. Puta? Não, moça decidida!
Quis afugentar toda tara reprimida
E sentiu desse ato os bons efeitos.

Francisco Libânio,
30/12/14, 9:49 PM
Postar um comentário