terça-feira, 17 de março de 2015

1814 - Soneto com sedução tímida

Ela o observava com a apreciação
De mulher por homem. E, discreta,
Lançou o olhar até ele. Sua meta
Era um namoro e propor a situação

Oportuna seria ótimo. Sua sedução
Foi maculada. Se manda! Desinfeta!
Ordenaram a ela, À espreita, quieta,
Nem ouviu, mas ele, a essa audição,

Respondeu a quem gritou. Deixa ela!
E essa defesa fez mais enternecê-la
Como a ele fez colocar mais reparo

Nela que era mulher, mas diferente.
No fim a corte acertou indiretamente
Seu alvo e que se apaixonou, é claro.

Francisco Libânio,
06/01/15, 9:41 AM
Postar um comentário