quinta-feira, 5 de março de 2015

1802 - Soneto com obsessões

Glauco Mattoso, que é dos poetas
Mais geniais desse país cultiva tara
Por pés, por sujeira e tem por cara
Essa paixão e em liras muito diretas

Extravasa cenas das mais abjetas
Repletas de fetiches. Espécie rara
De sonetista, ele em nada mascara
Seu gosto. Politicamente corretas,

Suas poesias? Em nada. E admiro
Sua verve. Nela também me inspiro,
Eu que tenho cá as minhas paixões.

Mulheres gordinhas, massa e busto,
Quero-as em minha lira. Terá custo,
Mas porei, com menos depravações.

Francisco Libânio,
29/12/14, 12:50 PM
Postar um comentário