terça-feira, 28 de abril de 2015

1855 - Soneto em defesa do anterior

Não vá achar o leitor que a história
Recém-contada denigre a mulher
O que é só dinheiro o que ela quer.
Não fiz lá uma peça condenatória

Que julga a moça pondo à escória.
Putas existem porque alguém quer,
Existem para companhia e prazer
Do cliente e sem fazer obrigatória

Essa companhia. Ela nunca obriga
Ou coage Se foi atrás e deu briga
Em casa o querer foi dele somente.

E se ela cobrou caro é o diferencial
Da concorrência e se ele pagou tal
Valor valeu se ele saiu dali contente.

Francisco Libânio,

21/04/15, 10:38 AM
Postar um comentário