sábado, 11 de abril de 2015

1837 - soneto presenteado

Diz-se aí que a cavalo dado
Não se olha o dente. É certo.
Ao presente o peito aberto
Deve ser e com bom grado

Se o regalo não der agrado,
Seja discreto. Se descoberto,
Conte e talvez haja conserto,
O presente possa ser trocado.

Mas e se o regalo em questão
É mulher, uma que em situação
Dada um amigo seu apresentou?

Não é a musa, pior, houve logro.
Ela tem um plus. Seu amigo ogro
Fez essa. Você usufruiu e gostou.

Francisco Libânio,
16/03/15, 12:06 PM
Postar um comentário