sexta-feira, 17 de abril de 2015

1843 - Soneto abrasivo

Viu um com o mesmo sexo
Abraçado; quis matar, pisar,
Por as coisas no seu lugar.
Seu argumento desconexo

E o ideário batido sem nexo
Fez mais quem ouvisse vaiar,
Mas tanta convicção lapidar
A pôr o bom senso perplexo

Fez com que ele se dissesse
O diamante que não amolece
Ou se dobra ante a viadagem.

O que não amolece é a cabeça
Oca. Deixa-se que ela pereça,
E que o moderno siga viagem.

Francisco Libânio,
23/03/15, 8:03 PM
Postar um comentário