sábado, 25 de abril de 2015

1853 - Soneto frugal

Eles dizem de comer beldades
Qual se elas fossem banquetes
Refinados de sair em manchetes
“Comi! Sou como as divindades!”

E execram as menores fealdades.
Como se indignas até de boquetes,
De beijos até, São pobres cadetes
Que se desenham qual autoridades.

Conseguem as deusas? Às vezes,
Mas a maioria esconde os revezes,
Pois fracasso se oculta e não conta.

Eu, que não “como” e até dispenso
A beleza pura desprovida de senso,
Prefiro a musa que a eles amedronta.

Francisco Libânio,
20/04/15, 9:04 AM
Postar um comentário