sexta-feira, 17 de abril de 2015

1842 - Soneto da hora agá

Entre ter dúvida e o fingimento
Em não saber há tal diferença
Que o primeiro atenta a crença
Que, sem um pressentimento,

Engana o melhor entendimento.
Já o não saber, esse dispensa,
Mas não perdoa uma pretensa
Bobagem ou um mal fazimento.

Assim o rapaz que consumir ato
Libidinoso e perceber ali um fato
Estranho, uma mulher diferente

Se teve dúvida assumiu o risco.
Se não sabia, foi ao pote arisco,
Deve enfrentar o que apresente.

Francisco Libânio,
23/03/15, 10:02 AM
Postar um comentário