sábado, 28 de fevereiro de 2015

1795 - Soneto turbinado

O poeta curte mulher peituda
E já disse isso e até tal tema
Noutro soneto com esquema
Igual talvez, mas que sacuda

O assunto. Algo que se muda
No entanto, é esse estratagema
Feminino de aderir ao sistema
De beleza imposto. Ser bojuda

É uma regra e daí ter o implante
No busto para que soe bastante
Atraente. E esse turbo mamário

Confunde o homem que duvida,
É real essa fartura da escolhida
Ou esse peito bonito é lendário?

Francisco Libânio,
24/12/14, 9:48 AM
Postar um comentário