domingo, 22 de fevereiro de 2015

1789 - Soneto de três listras

Pediam, ao tomar a Bastilha,
O óbvio: Liberdade, Igualdade
E Fraternidade. A Crueldade
Dos reis, a coroada matilha,

Dessa vez não se desvencilha
Da maioria que faz a saciedade
Com certo excesso, é verdade,
Mas deu ao mundo a maravilha

Que são nossos nobres direitos,
Sobretudo voz igual nos pleitos
Em que equivalem povo e nobre.

Duzentos anos e ainda há briga
Contra quem tem o rei na barriga
E é rico com o espírito tão pobre.

Francisco Libânio,
17/12/14, 1:12 PM
Postar um comentário