domingo, 22 de fevereiro de 2015

1787 - Soneto do copo filosófico

Está meio vazio ou meio cheio
O copo? Isso que nunca se cala.
O filósofo na questão se regala,
Vê a bela esperança ou um feio

Porvir. O rigor que está no meio,
A divisa perfeita põe tanta gala
Nesse copo que ele tanto abala
Com filosofia vazia no recheio.

Está meio cheio, diz o otimista.
Não, meio vazio, é o pessimista.
Razão um ao outro não concede.

E eu vejo aquela discussão tola,
Tema em nada o mundo assola
Como assola agora minha sede.

Francisco Libânio,
16/12/14, 9:28 AM
Postar um comentário