sábado, 25 de agosto de 2012

0398 - Soneto mortuário para Neil Armstrong


Ele, que deu um pequeno passo
Pra ele e grande pra humanidade,
Virou, graças a isso, celebridade
E o era sem qualquer embaraço,

Se Gagarin viu de perto o espaço,
Neil superou longe sua atividade,
Foi à Lua. Questionou-se a verdade
Disso. Viu-se um descompasso,

Duvidou-se. Tudo era mera teoria,
Armstrong esteve na Lua um dia
E virou herói pelo histórico feito,

E ele, que atingiu máximo limite,
Aceitou enfim e acedeu ao convite
De voar ao espaço etéreo perfeito.

Francisco Libânio,
25/08/12, 10:17 PM
Postar um comentário