sábado, 25 de agosto de 2012

0397 - Soneto Heterofóbico


Diz-se por aí. Há heterofobia!
Sejamos heterofóbicos então,
Sem piedade metamos a mão
No casal que, em paz, se sacia,

É homem-mulher? À porradaria!
Bem daremos um sonoro “não”
Ao casal hetero, essa aberração,
Que, em público, tiver ousadia,

De se beijar e abraçar. E a família?
Mantenhamos, pois, essa vigília
E extirpar a praga heterossexual

Já que as lésbicas e os gays,
Honestos e em dia com as leis,
Não sabem o que é isso, afinal.

Francisco Libânio,
25/08/12, 7:12 PM
Postar um comentário