sexta-feira, 10 de agosto de 2012

0381 - Soneto para o segundo terceto


E eis que chega o fim, afinal,
Do soneto. Três versos, já era!
Mas senta, acalma e espera,
O soneto exige um bom final,

Os versos exigem uma total
Consonância. Assim impera
Reler tudo o se que escrevera
Mais repraticar todo o ritual

Mas se o soneto chegou aqui,
E se onze versos saíram daí,
Vale a pena o último esforço

Escreve atencioso este terceto,
E conclui tranquilo o soneto
E some medo, culpa e remorso.

Francisco Libânio,
10/08/12, 8:31 PM
Postar um comentário