sexta-feira, 10 de agosto de 2012

0379 - Soneto da segunda quadra


Do começo do soneto distante,
Mas da outra margem ainda
Longe, a outra quadra deslinda
O soneto. Deve levá-lo adiante,

E entregá-lo belo e triunfante
Aos tercetos, mas na berlinda,
O verso que as quadras finda
Sente que a tarefa é bastante

Árdua, mas o faz. Corretamente,
A segunda quadra põe a frente
Na escrita e depois descansa

Agora é com vocês aí, os seis
Finalizadores. E eles como reis
Entram firme para essa dança.

Francisco Libânio,
10/08/12, 10:25 AM
Postar um comentário