terça-feira, 15 de janeiro de 2013

719 - Soneto preguiçoso

Plof!

Que não seja culpada essa preguiça
Pelos maiores erros da minha vida.
Sei que ela está aqui de intrometida,
E que, a minha disposição, enguiça,

Mas numa manhã assim abafadiça
Como viver a vida cruel e corrida?
Como dar aquela grande enrijecida
E partir todo valente à minha liça?

Não sei... Se eu, nem pra sonetear,
To achando disposição nem ar
Como fazer o que peça rapidez?

Quer saber? Preguiça, sai da frente!
Deixa eu dormir mais livremente
Que eu levanto quando for a vez.

Francisco Libânio,
15/01/13, 12:22 PM
Postar um comentário