quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

705 - Soneto admoestado

Só se jogar não adianta nada.

É claro que o ano que chega
Traz oportunidade a cada dia,
Nunca, jamais que eu negaria.
A esperança jamais se nega.

Errado está o que se apega
À Esperança duma forma fria,
Joga-se a ela com tal alegria
E acha que ela, alegre, carrega

Para o mais absoluto sucesso
E quando acorda vê o avesso
Culpando tudo pela má sorte.

Este soneto espera, mas sabe
A Esperança mui melhor cabe
Quando o empenho se põe forte.

Francisco Libânio,
03/01/12, 10:31 PM
Postar um comentário