domingo, 13 de janeiro de 2013

717 - Soneto assoberbado

Ei, você é grande, mas não é dois! Se liga!

Porque não basta se achar certo.
Tem que estar certo e, de quebra,
Mostrar o erro alheio ou se febra
Se não tripudiar com o dito acerto.

O soberbo, a quem estiver perto,
Convoca e sozinho auto-celebra
Seu saber. Pode até dar zebra,
Basta que não seja descoberto.

O soberbo é um cara que sabe,
E sabe mesmo que se gabe
Do saber, seu invencível mal.

E pior veneno, mais impactante
É humilhar de saber o ignorante
Só para que se sinta o maioral.

Francisco Libânio,
13/01/13, 4:26 PM
Postar um comentário