quarta-feira, 22 de maio de 2013

1013 - Soneto pouco vaidoso

Tira aqui e ali, põe lá e somos iguais...

Porque querer ser apenas bonito?
Para onde a beleza leva além dela?
O que se faz quando se tem a ela
E todo o resto resta assim restrito?

A beleza é importante, eu acredito.
Fio-me nisso e dou bastante trela,
Afinal quem não contempla a bela
Figura mente e ao crer nesse mito

Se engana e terá enorme trabalho
Ao se encantar cometendo ato falho
E se doerá com tal encantamento.

Eu não sou bonito, aqui pouco fez
A beleza. Todo bem, ela deu a vez
Para que o resto desse acabamento.

Francisco Libânio,
22/05/13, 11:11 AM
Postar um comentário