terça-feira, 14 de maio de 2013

1009 - Soneto aerado (parodiando Vinicus)

Pegadinha?

No momento em que abri a janela,
Bateu uma ventania no meu rosto.
Aquilo de bom me deixou disposto
A sair e sentir melhor a força dela.

Ventania? Massa! Uma friaca bela!
Depois do calor é muito bem posto!
Saio doido pra sentir força e gosto
E deixar meu corpo brincar com ela.

Saio e então não percebo mais nada.
Não sinto ventania e friaca não tem,
Mas um mormaço me deixa corada

A face. Some o frio e aí o calor vem.
Esquenta tudo. Sábia é minha Amada
Que correu para o Sul. Fez foi bem.

Francisco Libânio,
14/05/13, 2:29 PM
Postar um comentário