terça-feira, 8 de janeiro de 2008

A uma moça que desejei



Imagem extraída do site Lux Feminae - http://luzfeminina.blogspot.com/

Eu te vi. Então quis de todo coração
Amar-te em minha cama e beijar-te
O corpo no que chama de amor a arte
E de pecado o chama a religião

Amor de sentir, pensei, poderia ter parte
Mas depois de tal fatídica conjunção
Em que o corpo age por obrigação
De querer e então amar. Destarte

Outro veio enquanto eu te queria,
Conheceu-te, cativou e o encanto
Disso deu a ele o que eu desejava

E não notei que enquanto me gritava
O corpo, eras mais que o cio e tanto
Que outro te deu o que a alma pedia.

Francisco Libânio
15/11/07
11:40 PM
Postar um comentário