sábado, 12 de janeiro de 2008

01 - 28-11-07



Morreria feliz se de mim em teu coração
Houver um quadro não como eterno
Amor que me juraste nem com a devoção
Vazia dos deuses, mas com o terno

Cuidado da primeira vista e emoção
A qual não alcançou o amor e o moderno
Estágio manteve em mim a decoração
Que a minha em ti não ache o inverno.

Que haja de nós um no outro a pintura
Original, tombada como obra de arte
Para que se ligue da nossa às gerações

Para quem o futuro levará a cultura
Mostrando que o amor da vida faz parte,
Mas que o bem querer enobrece corações.

Francisco Libânio
28/11/07
12:50 AM
Postar um comentário