quinta-feira, 10 de janeiro de 2008

Teu colo



Aninha-me manso em teus braços.
Não sou tua presa, quero apenas
Um tempo de carinho. São escassos
Os meus como são pequenas

As demonstrações e o teu convite
Em dar colo me mudará a vida,
Não toda, só pelo tempo que te fite
Os olhos e tua face enternecida.

Deixa às minhas mãos o prazer
De tocar teu rosto e também
As tuas. Louva-me o instante

Em que, no teu colo, eu adormecer
E vela o sono como cuidas bem
Com um beijo bem reconfortante.

Francisco Libânio
10/01/08
11:15 AM
Postar um comentário