quarta-feira, 16 de janeiro de 2008

01 - 16-01-08



Amor, se és entre os sentimentos
Tão puro e com os homens justo,
Retira da minha alma os tormentos
Dando quem me qualquer o custo.

Ah, o que chamam amor e o que degusto
Se desfaz e me cega os olhos nos ventos
Pois assim me deram e anunciaram augusto
Algo que, por pena, se nega aos detentos

E vejo o mundo todo com seus pares
Amando sorrindo ou trocando olhares
Enquanto eu não sou visto por ninguém.

Sei que te ofendi e fui contra ti pecador,
Mas se és justo e benevolente, ó Amor,
Dá-me outra chance de amar alguém.

Francisco Libânio
16/01/08
12:00 AM
Postar um comentário