segunda-feira, 7 de janeiro de 2008

O Eu Poeteiro




Em escrever verso faço terapia,
Tento-me entender e me explicar,
Procuro com meus versos meu lugar
E a quem chora, procuro dar alegria

Meus versos nada mudarão, a rebeldia
Deles, se não é rasteira é vulgar,
E pior se eles pretendem amar
Porque imitam, e mal, a poesia

Romântica. Mas o poeta que as escreve,
Ah, esse ama, xinga e se exaspera
Com ímpeto apaixonado e fagueiro

Por isso, ele não é poeta, mas poeteiro
Que escreve sonhos, mas quem dera
Que fosse igual o amor ao que ele teve.

Francisco Libânio
06/01/07
11:01 PM
Postar um comentário