quarta-feira, 2 de outubro de 2013

1224 - Soneto sob influência de Ângela Rô Rô

E nova ela não era de se jogar fora.

Falam das cantoras masculinizadas,
Que são mais homem que mulher,
Sapatas que enojam a quem quer
Uma gata que cante e de arrumadas

Formas de serem vistas, admiradas.
Ângela foi a primeira a subverter
Essa regra. Ame quem aprouver
Sem dar vez às vozes recalcadas.

E que hino Amor Meu Grande Amor!
Ama-se sem sexo, distinção ou cor
E dá um tom de blues nessa canção.

Ângela é sapata? Que seja sapata,
Orientação sexual diversa não mata,
Mas dá à música toda a emoção.

Francisco Libânio,
02/10/13, 12:34 PM
Postar um comentário