segunda-feira, 30 de setembro de 2013

1223 - Soneto sob influência de Elis

Saía bem em fotos. E cantava bem pra caramba.

Costumo dizer que ela exagera,
Carrega demais na intensidade,
Se ela chora, chora de verdade,
E chora tanto que se exaspera,

A música não é como se espera
E algo nela fica sem qualidade,
Mas quando cantava de verdade,
Elis mostrava porque era a fera,

A musa que se foi como a maior,
A Pimentinha tão cheia de sabor
Que pegava a coisa bem na veia.

E isso era Elis, a grande cantora
Que tinha deslizes, mas na hora
Que acertava fazia cartela cheia.

Francisco Libânio,
30/09/13, 7:57 PM
Postar um comentário